O “Inventário” de 1858 do Circulo Eborense

O atual documento em destaque foi produzido por uma determinação constante nos próprios Estatutos da Sociedade do Círculo Eborense.

Segundo estes, competia à Direcção cessante “entregar por inventário todos os objectos pertencentes à associação” à nova administração, saída de eleições que para o efeito se realizavam.

Este “inventário” é importante porque nos permite conhecer a documentação que foi sendo acumulada pelo Círculo desde a sua fundação (1836) até ao momento em que foi feito o levantamento (1858). 

Encontra-se exarado no Livro de Actas da Direcção (1856 a 1923), “pela própria letra do [seu] Secretário”. Da ata era extraída uma “cópia fiel para o mordomo assignar como responsável dos objectos a seu cargo”, que depois era guardada no “archivo da Sociedade” .

Depois de fazer o levantamento e descrição do arquivo, verificamos que a maioria dos elementos referenciados no inventário chegaram até os nossos dias,

somente faltando dois livros de actas da Assembleia-geral e de eleições, um maço de estatutos impressos, um maço de cartas impressa para convites, um maço de cartões de convites e os inventários de 1840 e 1855.

Apresenta-se agora a transcrição do inventário” que, no âmbito do projeto, é documento em destaque ( ACE. Livro de actas, 1856-1923, Cx.31, nº181, fls.5-8v)

«[fl.4v] No dia 12 de Março, estando reunida a Direcção/ para verificar a exactidão do inventario que se/ acabava de fazer, foi por ella decedido que esta/va exacto; e assim tãobem que fosse elle aqui/ lançado pela própria letra do secretario da Direcção/ e que d’ aqui se extrahisse copia fiel para o mordomo/ assignar como responsável dos objectos a seu cargo, e/ [fl.5] assim mais que depois d’ambos assignados fossem/ guardados no archivo da sociedade.

Inventario dos objectos que existem/ e pertecem à Sociedade do Círculo Eborense no an/no de 1858 sendo directores António Joaquim da Silva e/ Sousa, Carlos Miguel da Cunha Vieira e Fortunato Fir/mo Maia – Índex = Archivo da casa de lei/tura a flas 2 = Trastes de madeira a flas 4 = Prata/ e diferentes metaes a flas 6 = Vidros a flas 8 = Louça a flas 9 =  Ropa a flas 10.

Quantidades Archivo da Casa de leitura
Hum livro de matricula geral de todos os sócios do/ Circulo Eborense desde Março de 1836 = e reformado: o primordial não apparece =/
Dous livros da actas das Assembleas geraes, e eleições,/ anno de 1836, outro de 1854/
Hum livro para as actas das Direcções que principiou/ em Abril de 1856
Quatro livros caixas da contabilidade = o quarto existe em poder/ do thesoureiro/
Hum livro pertencente a secção philarmonica que/ principiou em Março de 1852/
Hum livro para as Apresentações dos visitadores à casa da/ sociedade, que principiou em Maio de 1852/
Hum livro com o titulo lista mensal que teve principio em Julho/ de 1848/
Hum livro em qu’ estão relacionados os sócios que compõem o quadro/ do Circulo, e que são obrigados às prestações desde Julho de 1852 até julho de 1855/
Hum livro em branco com cincoenta folhas/
Setenta e cinco Diários do Governo encadernados, digo volumes/ encadernados desde Janeiro de 1819 ate Dezembro de 1857/
Hum volume da Gazeta do Governo 2º semestre de 1848 que é demais/
Nove volumes da Ilustração Francesa encadernados =/ aos semestres =/
[fl.5v] Quatro ditos por encadernar = aos semestres =/
Hum Volume encadernado com o titulo miscelania/
Hum Volume encadernado = Atlas Universal Histórico e/ geográfico de 1849/
Huma pasta grande com dez mapas/
Trez Pastas avulsas/
Dous Volumes brochados do Jornal da Sociedade Agri/cula do Porto dos annos de 1856 e 1857/
Cinco Volumes de tratados de jogos/
Hum masso de estatutos impressos/
Hum masso de cartões de convites/
Hum masso de cartas impressa para convites/
Hum masso de mapas grandes e pequenos para contas = em branco/
Hum masso de talões para a cobrança das prestações = e seus recibos/
Hum masso d’ escrituras d’ arrendamento e aforamento da casa da sociedade
Hum masso de recibos das rendas e foros da casa/
Hum masso de recibos das décimas/
Hum masso de cartas dos sócios e ofícios do governo civil =/ uma pasta
Hum masso de papeis de contas de Junho de 1838 a De/zembro de 1857 = alguns dos primeiros annos faltão-lhe/ e não tem documento = Os últimos são os mappas começados em/ Outubro de 1851 e um/
Trez escrivaninhas de metal amarelo/
huma escrivaninha de guta percha/
huma garrafa para tinta/
Huma faca de marfim para cortar papel/
Huma caixa de lata com uma marcação para chancellar os Pe/riodicos, livros e mais papeis da Sociedade/
Huma Urna e dous sacos de veludilho para as espheras das votações/
Dez Taboas para prender os periódicos/
Cinco Quadros para meter os mapas diários e mensaes/
Dous inventários; um de 1840 e outro de 1855»

 

Inventário do Circulo Eborense. ACE. Livro de actas, 1856-1923, Cx.31, nº181, fls.5-8v. Projeto Gulbenkian: A sociabilidade Alentejana nos documentos (1836-1975)

Sugerencia de cita:

David Batista, Maria Ana Bernardo, Maria Zozaya, «O “Inventário” de 1858 do Circulo Eborense», Sociabilidad y Élites, 2444-8052, 02-06-2017.


Maria Zozaya

Nacida en Madrid en 1975. Doctora y Licenciada por la Universidad Complutense de Madrid, donde fue premiada con los máximos galardones de la Universidad. Ha recibido varios premios de investigación (PVM, AHS, Maestranza de Ronda). Cuenta con cuatro libros y múltiples escritos. Ha viajado a múltiples lugares del mundo con sus congresos. Vinculado a su estudio de la sociabilidad tiene una web de artes contemporáneas, http://teartres.wordpress.com/. Disfruta de una beca Postdoctoral de la FCT en el CIDEHUS, en la Universidad de Évora, en Portugal.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookYouTube

Un pensamiento sobre “O “Inventário” de 1858 do Circulo Eborense”

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *